sábado, 20 de novembro de 2010

A fé enxerga mais que a visão.

Hebreus 11
1 Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se vêem.

O talentoso acerta num alvo que vê.
O gênio acerta num alvo que ninguém vê.
O louco acerta num alvo que não existe.

Deus chama a existência as coisas que (ainda) não existem.

1a. Coríntios 1
18 Porque a palavra da cruz é deveras [loucura] para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus.

21 Visto como na sabedoria de Deus o mundo pela sua sabedoria não conheceu a Deus, aprouve a Deus salvar pela [loucura] da pregação os que crêem.

23 nós pregamos a Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus, e [loucura] para os gregos,

25 Porque a [loucura] de Deus é mais sábia que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte que os homens.

1a. Coríntios 2
14 Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque para ele são [loucura]; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.

1a Coríntios 3
19 Porque a sabedoria deste mundo é [loucura] diante de Deus; pois está escrito: Ele apanha os sábios na sua própria astúcia;


Ninguém converte ninguém... É obra do Espírito Santo.

sábado, 13 de novembro de 2010

O Reino Invisível

Duas forças opostas, inimigos mortais desde o Começo dos Tempos, estão fazendo preparativos para tirarem vantagem do final de tudo. Nos bastidores de todos os eventos dos livros de história, ELES têm trabalhado incansavelmente nas sombras, manipulando reis e imperadores, fomentando guerras, derrubando nações. De um lado os agentes do Controle Total, servos de entidades ultradimensionais conhecidas como os Arcontes, os Perdidos, os Esquecidos. Esses anti-seres assombram as esquinas dos nossos pesadelos, além do Tempo e Espaço, esperando pelo momento quando finalmente destruirão as paredes da realidade e dominarão nosso universo. Através de seus agentes terrenos, ELES já controlam o governo do mundo. ELES criam medo e discórdia. ELES sabem o que é melhor pra nós. ELES definem nossa realidade pela manipulação de linguagem e imagens. ELES exigem nossa obediência, nossa lealdade, e, no final, nossa completa escravidão.

E do outro lado está o Reino Invisível: uma antiga e secreta rede de lutadores da liberdade, dedicados à independência e salvação da humanidade. Alguns trabalham sozinhos como agentes paranóicos e muitas vezes desacreditados, mendigos esfarrapados pelas ruas das cidades. Outros ajudam a causa sem mesmo perceber como, por exemplo, crianças "no fits" das escolas, esposas revoltadas, trabalhadores que sabotam o estéril mecanismo de produção e consumo. E outros ainda, como Caio Fabio e seu grupo, reúnem-se em células ativistas, usando ação direta contra as estruturas de poder da conspiração dos Arcontes. Anarquistas, amantes da sabedoria, párias, subversivos ocultos, pessoas comuns nas fileiras da Batalha Final para decidir o destino da Alma da Humanidade. ELES se opõem à tirania e à ignorância. ELES se recusam a ser governados. ELES são a última esperança da humanidade no limiar do último e interminável pesadelo. Pois apontam o Caminho. Resta você encontrá-lo dentro de si mesmo!

A contagem regressiva começou... O dia da virada está às portas! Não olhe para trás!

domingo, 31 de outubro de 2010

O Futuro da Humanidade

Sempre tive uma resistência em ler Augusto Cury. No ano passado teve um amigo secreto dos funcionários da UEG e cada um podia escolher o que queria ganhar, desde que não fosse muito caro, entre 10,00 e 30,00 reais. Bom, ganhei um livro "O Futuro da Humanidade" e simplesmente o deixei de lado. Passou o tempo e chegou o mês das chuvas. Um dia... Acabou a energia e não tinha nada para fazer... Então vi o livro na estante aqui pegando poeira e falei... Não custa nada tentar, não tenho outra coisa a fazer. E me apaixonei pelo livro. Simplesmente fantástico. Não em termos de escrita e letras, mas de conteúdo. E este texto aqui é um pedido de perdão ao autor por ter sido preconceituoso. Não sei por que o classificam como auto-ajuda, pois este livro aqui é um belo romance. Certamente agora leirei mais obras dele.

Quero escrever aqui um trecho que para mim foi fascinante.

Quem somos? O que somos? Para onde vamos? - Frequentemente me faço tais perguntas. Olhe para as pessoas ao nosso redor. O que você vê? - Pessoas de ternos, mulheres bem-vestidas, jovens exibindo seus tênis, adolescentes arrumando o cabelo, enfim, pessoas transitando. - A maioria dessas pessoas vive porque respiram. Não perguntam mais "quem são?", "o que são?". Estão entorpecidos pelo sistema. O ser humano atual não ouve o grito da sua maior crise. Cala sua angústia porque tem medo de se perder num emaranhado de dúvidas sobre seu próprio ser. No começo do século XX, a ciência prometeu ser o deus do Homo sapiens e responder a essas perguntas. Mas ela nos traiu. Por que nos traiu? - Primeiro porque não desvendou quem somos; continuamos a ser um enigma, uma gota que por um instante aparece e logo se dissipa no palco da existência. Segundo, porque, apesar do salto na tecnologia, ela não resolveu os problemas humanos fundamentais. A violência, a fome, a discriminação, a intolerância e as misérias psíquicas não foram debeladas. A ciência é um produto do ser humano e não um deus do ser humano. Use-a e não seja usado por ela. Perfeito... Tocou no fundo da minha alma!

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

VISÃO DE ADULTO... VISÃO DE CRIANÇA...

Éramos a única família no restaurante com uma criança.

Eu coloquei Daniel numa cadeira para crianças e notei que todos estavam tranqüilos, comendo e conversando.

De repente, Daniel gritou animado, dizendo: 'Olá, amigo!', batendo na mesa com suas mãozinhas gordas.

Seus olhos estavam bem abertos pela admiração e sua boca mostrava a falta de dentes.

Com muita satisfação, ele ria, se retorcendo.

Eu olhei em volta e vi a razão de seu contentamento.

Era um homem andrajoso, com um casaco jogado nos ombros,
sujo, engordurado e rasgado.

Suas calças eram trapos com as costuras abertas até a metade e seus dedos apareciam através do que foram, um dia, os sapatos.

Sua camisa estava suja e seu cabelo não havia sido penteado por muito tempo.

Seu nariz tinha tantas veias que parecia um mapa.

Estávamos um pouco longe dele para sentir seu cheiro, mas asseguro que cheirava mal.

Suas mãos começaram a se mexer para saudar..

'Olá, neném. Como está você?', disse o homem a Daniel.

Minha esposa e eu nos olhamos:

'Que faremos?'.

Daniel continuou rindo e respondeu, 'Olá, olá,amigo'.

Todos no restaurante nos olharam e logo se viraram para o mendigo.

O velho sujo estava incomodando nosso lindo filho.

Trouxeram a comida e o homem começou a falar com o nosso filho como um bebê.

Ninguém acreditava que o que o homem estava fazendo era simpático.

Obviamente, ele estava bêbado.

Minha esposa e eu estávamos envergonhados.

Comemos em silêncio; menos Daniel que estava super inquieto e mostrando todo o seu repertório ao desconhecido, a quem conquistava com suas criancices.

Finalmente, terminamos de comer e nos dirigimos à porta.

Minha esposa foi pagar a conta e eu lhe disse que nos encontraríamos no estacionamento.

O velho se encontrava muito perto da porta de saída.

'Deus meu, ajuda-me a sair daqui antes que este louco fale com Daniel', disse orando, enquanto caminhava perto do homem.

Estufei um pouco o peito, tratando de sair sem respirar nem um pouco do ar que ele pudesse estar exalando.

Enquanto eu fazia isto, Daniel se voltou rapidamente na direção onde estava o velho e estendeu seus braços na posição de 'carrega-me'..

Antes que eu pudesse impedir, Daniel se jogou dos meus braços para os braços do homem.

Rapidamente, o velho fedorento e o menino consumaram sua relação de amor.

Daniel, num ato de total confiança, amor e submissão, recostou sua cabeça no ombro do desconhecido.

O homem fechou os olhos e pude ver lágrimas correndo por sua face.

Suas velhas e maltratadas mãos, cheias de cicatrizes, dor e trabalho duro, suave, muito suavemente, acariciavam as costas de Daniel.

Nunca dois seres haviam se amado tão profundamente em tão pouco tempo.

Eu me detive, aterrado. O velho homem, com Daniel em seus braços, por um momento abriu seus olhos e olhando diretamente nos meus, me disse com voz forte e segura:

'Cuide deste menino'.

De alguma maneira, com um imenso nó na garganta, eu respondi: 'Assim o farei'.

Ele afastou Daniel de seu peito, lentamente, como se sentisse uma dor.

Peguei meu filho e o velho homem me disse:

'Deus o abençoe, senhor. Você me deu um presente maravilhoso'.

Não pude dizer mais que um entrecortado 'obrigado'.

Com Daniel nos meus braços, caminhei rapidamente até o carro.
Minha esposa perguntava por que eu estava chorando e segurando Daniel tão fortemente, e por que estava dizendo:

'Deus meu, Deus meu, me perdoe'.

Eu acabava de presenciar o amor de Cristo através da inocência de um pequeno menino que não viu pecado, que não fez nenhum
juízo; um menino que viu uma alma e uns adultos que viram um montão de roupa suja.

Eu fui um cristão cego carregando um menino que não o era.

Eu senti que Deus estava me perguntando:

'Estás disposto a dividir seu filho por um momento?', quando Ele compartilhou Seu Filho por toda a eternidade..

O velho andrajoso, inconscientemente, me recordou:

Eu asseguro que aquele que não aceite o reino de Deus como um
Menino, não entrará nele.' (Lucas 18:17).

Apenas repita esta frase e verá como Deus se move:

'Senhor Jesus Cristo, te amo e te necessito, entre em meu coração, por favor'.

Passe esta mensagem a algumas pessoas especiais.

Não porque você receberá um milagre amanhã..

Mas porque você recebe o milagre todos os dias...

O milagre de estar vivo!!!

terça-feira, 28 de setembro de 2010

EM CRISTO A MORTE É DOCE

A "Vida é Bela" deveria ser mais dificil de fazer acreditar do que no fato de que a "Morte é Doce". Afinal, todos somos testemunhas de que a natureza é bela, mas o mundo dos humanos apenas manifesta algumas belezas, mas é mais freqüentemente cruel e implacável!

Apesar disso, Jesus disse:

“Aquele que ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou, não entra em juízo; já da morte para a vida”.

Ou seja: dá para se experimentar a eternidade ainda na experiência da existência neste planeta caído.

A eternidade não será!

Em Cristo ela já é!

O mundo é cruel, mas nosso alvo deve ser experimentar a existencialidade da eternidade mesmo que ainda se esteja vivendo dentro das limitações de nosso presente estado de existência.

Paulo via a morte de uma maneira vitoriosa. Ele não a buscava.

Preferia adiar sua partida a fim de que a Graça em sua vida histórica se tornasse o mais útil possível!

Enquanto no corpo ausentes do convívio glorificado no e com Senhor Jesus!

O tabernáculo terrestre—o corpo—é corruptível!

O corpo celestial é incorruptível!

Assim, o viver é Cristo; o morrer é lucro!

Para Paulo era certo que o homem exterior se corrompe com o passar do tempo. Vem a velhice, a canseira, os achaques nas juntas, os pesos, a perda da visão, da audição, da energia construtivista—e a dor da sabedoria de quem sofre não pelo seu próprio futuro, mas pelo daqueles que ama e aqui ficarão.

O contraponto é que ele diz que em Cristo o homem interior se renova de dia em dia!

Isto para quem considera a leve e momentânea tribulação como algo a não ser comparado com o peso de gloria a ser revelado em nós.

Depois de ir ao terceiro céu...bem, depois disso, ele sabia que o que olhos não viram, o que os ouvidos nunca haviam ouvido, e também aquilo que nunca jamais havia subido como imaginação inspirada pela mais mágica fantasia artística, teológica, filosófica, sinfônica, degustativa, sensorial ou extrasensorial—era o que Deus havia reservado para aqueles que o amam!

“Mas Deus no-lo revelou pelo Espírito”—diz ele!

Não era licito aos homens referir somente porque era irreferível. Nem sempre o revelado cabe em palavras!

Paulo viajou do caminho da certeza da vida eterna até chegar ao prazer pela eternidade!

Essa é uma viagem que poucos cristãos fazem. E é tão raro, não porque não se tem certeza da salvação, mas porque a morte é um tabu de dor transacional para a maioria de nós.

“O que acontecerá na passagem?”—é sempre a questão, mesmo quando não se tem a coragem de confessar!

Bem, a passagem não terá acontecido enquanto o corpo estiver sofrendo. E o corpo pode sofrer de dor de física, mas também da dor do medo.

O medo de como é a passagem faz sofrer muito mais que a passagem em si!

Mas se de algum modo o espírito está cativo da eternidade como prazer, então a morte—que já perdeu seu poder de apavorar como dor eterna—perde também sua força como fobia da passagem!

É como nascer!

Só que não é do abrigo do útero para a dor do mundo. É a passagem do terror da corrupção do corpo—em todas as suas dimensões—para o inesgotável mergulho no amor infinitamente surpreendente do ser de Deus.

Minha suposição é que Paulo foi levado para a decapitação com a serenidade feliz dos premiados. Muitos anos antes daquele dia Pedro havia dormido na prisão da Fortaleza Antônia, em Jerusalém, na véspera de sua própria execução.

Para quem chegou aí, mesmo que haja dor física na passagem, não é para comparar com o peso de glória que o aguarda. Até a dor se adocica nesse estado!

É no mínimo como um cafuné celestial. Creio que deve fazer extasiante coceira no cocuruto da alma e no cangote do espírito!

Nesse caso não se tem somente a certeza da salvação. Tem-se o êxtase dela!

A viagem de fé nesta vida deve poder nos levar ao nível de pacificação que produz essa alegria calma no ser. Afinal, o próprio Paulo disse: “...a morte é vossa...e vós de Cristo, e Cristo de Deus”.

Caio

sábado, 18 de setembro de 2010

Ricos e milionários para a glória de Deus?

Preciso confessar minha intolerância religiosa e politicamente incorreta. Sim! Porque se não confessá-la, neste momento e canal, estarei negligenciando historicamente tudo o que creio segundo a simplicidade do que se aprende pela verdade, transparência e honestidade em Jesus e também do que estou convencido ser meu compromisso profético de denunciar o engano.

É a mesma intolerância que motivou o Senhor a chamar alguns religiosos de seu tempo de "raça de víboras", "sepulturas pintadas" e "lobos enganadores". Este é o zelo pela verdade a ponto de virar a mesa dos cambistas do templo e chamá-los publicamente de ladrões e salteadores. Não eram simples religiosos, eram aqueles que ditavam as regras no seu tempo, jogavam as cartas do jogo de dominação e manipulação do povo, assentavam-se nos primeiros lugares da sinagoga/templo, homens cuja "santidade" e "poder de Deus" eram medidos/avaliados somente pela aparência, externamente, pelo tamanho dos filactérios e franjas das roupas que usavam; eram aqueles que gostavam de orar em pé durante os cultos para serem vistos e admirados pelos outros homens ou para demonstrar um poder que julgavam ter [e não tinham].

Sem rodeios, apesar das duras palavras, mas em profundo amor, Jesus denunciava o pecado fosse ele institucional ou pessoal; olhando nos olhos de quem quer que fosse, desmascarava o que ele sabia ser a perversão da vida e do convite amoroso de Deus no encontro com o homem.

Esta semana vi escrito em um outdoor de uma grande e famosa igreja do Rio de Janeiro a frase: "Deus está levantando ricos e milionários para a Sua Glória. (...) Venha ser um deles", havia também, estampada, a foto do pastor... (Ops!) eu disse pastor? Desculpe! Agora ele foi consagrado a apóstolo...

Pois, é! Não vou discutir a apostolicidade do nosso irmão, mas meu lamento e espanto, semelhante ao do apóstolo Paulo na carta aos Gálatas, quando ele diz: "Admira-me que estejais passando tão depressa daquele que vos chamou na graça de Cristo para outro evangelho..." é perceber como uma grande parcela dos pastores/religiosos hoje estão cedendo à tentação de transformarem as pedras em pães, jogarem-se dos pináculos de seus templos midiáticos e se ajoelharem diante da "grandeza" e da Prosperidade para conquistarem a glória das cidades e reinos deste mundo.

Oro sinceramente para que ele e todos estes sacerdotes, profetas, missionários e apóstolos tenham tempo de se arrepender e crer no Evangelho simples de Jesus, a fim de encontrarem misericórdia e também [se possível] ensinar o caminho de volta aos seus discípulos, mas não posso ficar calado.

Deus não precisa fazer alguém rico ou milionário para ser glorificado, servido ou conquistar a terra. Já cantava inspiradamente o poeta: "a sabedoria mora com gente humilde (...)", mas quem consegue discernir este tempo sabe que o engano já se instalou no coração e esfriou o amor de quase todos. A proposta daquele outdoor pareceu-me não somente absurda e mentirosa, mas revela a grande iniqüidade e potestade camuflada de piedade e "bênção". Erra não só quem faz o convite para participar dos cultos a Mamom, mas também quem o cultua, serve-o com seus dízimos e ofertas e sobe as escadas dos pináculos atrás de seus líderes e guias espirituais na intenção de receber a mesma glória e poder deste mundo.

Sinto profundo constrangimento por esta geração perversa que só consegue ver "Deus" na riqueza e na troca, na barganha, na compra da "bênção". Este "Deus" não é o meu Deus, não creio em um "Deus" que apenas seja Deus se for servido por ricos e milionários. Não creio em um "Deus" que expressa sua glória somente para aqueles que podem pagar por ela.

Eu creio no Deus que se fez carne, que ao contrário do desejo de alcançar a glória para cima, pelo domínio, através da glória dos homens e do mundo, preferiu o caminho inverso e se rebaixou até se confessar como servo humilde.

Os que vivem de fato para a glória de Deus podem até possuir algum bem (ou bens) neste mundo, podem por acaso ser chamados de ricos, milionários, mas seu coração certamente não estará no acúmulo de tesouros, muito menos no prazer de serem considerados como tais. Os que vivem e expressam a glória de Deus são os simples, os misericordiosos, os limpos de coração; aqueles que mesmo não possuindo prata nem ouro sabem expressar o bem e a glória de amar a Deus não pelo que Ele pode dar, mas pelo Dom da vida em abundância vivida gratuitamente.

Satã foi contaminado pelo brilho e ganância do seu próprio comércio, aliás este foi um dos motivos de sua queda. A avareza que derruba querubins facilmente derruba apóstolos e patriarcas, ainda nos dias de hoje. A denúncia que o apóstolo Pedro fez em sua comunidade neotestamentária é atual e verdadeira: "Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras, até ao ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição.

E muitos seguirão as suas práticas libertinas, e, por causa deles, será infamado o caminho da verdade; também, movidos por avareza, FARÃO COMÉRCIO DE VÓS, com palavras fictícias; para eles o juízo lavrado há longo tempo não tarda, e a sua destruição não dorme." (2 Pedro 2.1-2)

Ainda dá tempo de voltar ao caminho da cruz e do arrependimento. Quem tem ouvidos para ouvir?

O Deus que é glorificado sem som e sem palavras pela obra de suas mãos te abençoe rica, poderosa e sobrenaturalmente!


Pablo Massolar

Leia outros artigos como este em: www.ovelhamagra.com

sábado, 14 de agosto de 2010

Fibonacci

Veja este vídeo:



Agora leia:

Romanos 1:16-22

Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego. Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé. Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça. Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou. Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis; Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos.

sábado, 7 de agosto de 2010

O finito no infinito

Em uma outra postagem falei com as seguintes palavras...

"Conheces matemática?

Então resolva o seguinte enigma...

Existem três números...

O maior = Y;
O do meio = H;
E o menor = W;

A soma do médio com o menor dá o maior. Quando somamos o médio com o menor e dividimos o resultado pelo médio obtemos o maior. A divisão do médio pelo menor é a razão proporcional ao maior. Quais são esses números? E sua relação com o universo e os fractais?

Dica... Está em todo lugar... Inclusive no DNA! Assista o filme Pi-Movie!"

Aqui falo da razão áurea... Não sabes o que é? Visite:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Raz%C3%A3o_%C3%A1urea

Resumindo a razão áurea é um número que divide um seguimento de reta em duas partes da maneira mais harmônica possível... De forma que o todo é proporcional à razão do maior pelo menor, assim como, o maior é proporcional ao menor. Posso dizer que o todo contêm as partes, assim como as partes são imagens do todo. Essa ultima afirmação é a definição de fractais.

Para mais visite:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Fractal
http://cftc.cii.fc.ul.pt/PRISMA/capitulos/capitulo2/modulo4/topico7.php

Este número divino é um número tão, mas tão preciso que nenhum dos super-computadores pode precisar com toda sua exatidão ele...

Ele está em toda parte... É o metro de Deus! Desde galáxias até no nosso DNA!

Eu pergunto... Como um padrão tão exato pôde assim surgir sem intencionalidade?

Antes de responder veja esse vídeo:



Não é impressionante?

***

O finito e o infinito são a mesma coisa. Um dentro do outro... Uns e Zeros!

(1 + 0)/1 = 1/0 = ∞

Por fim leia:

http://seguidoresdocaminhoeterno.blogspot.com/2010/03/e.html

É por isso que sinto uma vontade incontrolável de adorar a DEUS... O MEU ETERNO EU SOU!

sábado, 31 de julho de 2010

Tempo do fim

Oh! Profundidade

Oh! Profundidade

Oh profundidade das riquezas, tanto da sabedoria,
como do conhecimento de Deus!
Quão insondáveis são os seus juizos, e quão inescrutáveis os
seus caminhos.

Ah, porque quem compreendeu os intentos do Senhor?
ou quem foi seu conselheiro?
Ou quem lhe deu primeiro a ele?
Pra que lhe seja recompensado.

Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas;
glória, glória, glória, glória, pois a Ele, eternamente. Amém!

O Milênio

Entenda mais sobre o reino milenar de Cristo...

A. Paz. O término da guerra pela unificação dos reinos do mundo sob o reinado de Cristo, juntamente com a prosperidade econômica, sãos frutos do reino do Messias (Is 2.4).

B. Alegria. A plenitude da alegria será marca característica da era milenar (Is 9.3,4; 12.3-6; 14.7,8; 25.8,9; 30.29; 42.1,10-12; 52.9; 60.15; 61.7,10; 65.18,19; 66.10-14; Jr 30.18,19; 31.13,14; Sf 3.14-17; Zc 8.18,19; 10.6,7).

C. Santidade. O reino teocrático será um reino santo, no qual a santidade é manifesta por meio do Rei e de seus súditos. A terra será santa, a cidade será santa, o templo será santo e os súditos serão santos no Senhor (Is 1.26,27; 4.3,4; 29.18-23; 31.6,7; 35.8,9; 52;1; 60.21; 61.10; Jr 31.23; Ez 36.24-31; 37.23,24; 43.7-12; 45.1; Jl 3.21; Sf 3.11,13; Zc 8.3; 13.1,2; 14.20,21).

D. Glória. Será um reino glorioso, no qual a glória de Deus encontrará plena manifestação (Is 24.23; 4.2; 35.2; 40.5; 60.1-9).

E. Consolo. O Rei ministrará pessoalmente a todas as necessidades, a fim de que haja pleno consolo naquele dia (Is 12.1,2; 29.22,23; 30.26; 40.1,2; 49.13; 51.3; 61.3-7; 66.13,14; Jr 31.23-25; Sf 3.18-20; Zc 9.11,12; Ap 21.4).

F. Justiça. Haverá administração de justiça perfeita a cada indivíduo (Is 9.7; 11.5; 32.16; 42.1-4; 65.21-23; Jr 23.5; 31.23; 31.29,30).

G. Pleno conhecimento. O ministério do Rei levará os súditos do reino ao pleno conhecimento. Sem dúvida haverá um ensinamento sem paralelo do Espírito Santo (Is 11.1,2,9; 41.19,20; 54.13; Hc 2.14).

H. Instrução. Esse conhecimento será dado pela instrução que emana do Rei (Is 2.2,3; 12.3-6; 25.9; 29.17-24; 30.20,21; 32.3,4; 49.10; 52.8; Jr 3.14,15; 23.1-4; Mq 4.2).

I. A retirada da maldição. A maldição original colocada sobre a criação (Gn 3.17-19) será eliminada, de modo que haverá produtividade abundante na terra. A criação animal será transformada, animais nocivos perderão o veneno e a ferocidade (Is 11.6-9; 35.9; 65.25).

J. A doença será eliminada. O ministério de curas do Rei será observado em toda a era, assim a doença e até mesmo a morte, exceto como medida de castigo de pecado público, serão eliminadas (Is 33.24; Jr 30.17; Ez 34.16).

L. Cura dos deformados. Acompanhando esse ministério haverá cura de toda a deformidade na instituição do milênio (Is 29.17-19; 35.3-6; 61.1,2; Jr 31.8; Mq 4.6,7; Sf 3.19).

M. Proteção. Haverá uma obra sobrenatural de preservação da vida na era milenar por intermédio do Rei (Is 41.8-14; 62.8,9; Jr 32.27; 23.6; Ez 34.27; Jl 3.16,17; Am 9.15; Zc 8.14,15; 9.8; 14.10,11).

N. Liberdade em relação à opressão. Não haverá opressão social, política nem religiosa naquele dia (Is 14.3-6; 42.6,7; 49.8,9; Zc 9.11,12).

O. Ausência de imaturidade. A idéia parece ser de que não haverá tragédias de corpos e mentes fracas e débeis naquele dia (Is 65.20). A longevidade será restaurada.

P. Reprodução dos povos vivos. Os santos que entrarem no milênio com seus corpos naturais terão filhos durante o período. A população da terra aumentará. Os nascidos no milênio ainda possuirão a natureza pecaminosa; logo, a salvação será necessária (Jr 30.20; 31.29; Ez 47.22; Zc 10.8).

Q. Trabalho. O período não será caracterizado por inatividade, mas haverá um sistema econômico perfeito, no qual as necessidades do homem serão abundantemente providas pelo seu trabalho naquele sistema, sob a direção do Rei. Haverá uma sociedade plenamente produtiva, suprindo as necessidades dos súditos do Rei (Is 62.8,9; 65.21-23; Jr 31.5; Ez 48.18,19). A agricultura bem como a manufatura proverão empregos.

R. Prosperidade econômica. A perfeita situação de trabalho trará uma economia abundante, de modo que não haverá falta ou necessidade (Is 4.1; 35.1,2; 30.23-25; 62.8,9; 65.21-23; Jr 31.5,12; Ez 34.26; Mq 4.1,4; Zc 8.11,12; 9.16,17; Ez 36.29,30; Jl 2.21-27; Am 9.13,14).

S. Aumento da luz. Haverá aumento da luz solar e lunar nessa era. O aumento de luz provavelmente será a causa do aumento da produção na terra (Is 4.5; 30.26; 60.19,20; Zc 2.5).

T. Língua unificada. As barreiras lingüísticas serão desfeitas, a fim de que haja livre comunicação social (Sf 3.9).

U. Adoração unificada. Todo o mundo se unirá na adoração a Deus e ao Messias (Is 45.23; 52.1,7-10; 66.17-23; Zc 13.2; 14.16; 8.23; 9.7; Sf 3.9; Ml 1.11; Ap 5.9-14).

V. A presença manifesta de Deus. A presença de Deus será plenamente reconhecida e a comunhão com Ele será experimentada em uma dimensão sem igual (Ez 37.27,28; Zc 2.2,10-13; Ap 21.3).

X. A plenitude do Espírito. A presença e a capacitação divina serão a experiência de todos que estiverem sujeitos à autoridade do Rei (Is 32.13-15; 41.1; 44.3; 59.19,21; 61.1; Ez 36.26-27; 37.14; 39.29; Jl 2.28,29; Ez 11.19,20).

Z. A perpetuidade do estado milenar. O que caracteriza a era milenar não é visto como temporário, mas eterno (Jl 3.20; Am 9.15; Ez 37.26-28; Is 51.6-8; 55.3,13; 56.5; 60.19,20; 61.8; Jr 32.40; Ez 16.60; 43.7-9; Dn 9.24; Os 2.19-23).

Texto extraído do orkut e o originalmente postado por Gabriel de Oliveira.


O REINO DO CÉUS





sexta-feira, 30 de julho de 2010

O Arrebatamento

Sabe o que é?
Está preparado?
Procure saber.
Prepare-se!








»APOCALIPSE [14]

1 E olhei, e eis o Cordeiro em pé sobre o Monte Sião, e com ele cento e quarenta e quatro mil, que traziam na fronte escrito o nome dele e o nome de seu Pai.
2 E ouvi uma voz do céu, como a voz de muitas águas, e como a voz de um grande trovão e a voz que ouvi era como de harpistas, que tocavam as suas harpas.
3 E cantavam um cântico novo diante do trono, e diante dos quatro seres viventes e dos anciãos; e ninguém podia aprender aquele cântico, senão os cento e quarenta e quatro mil, aqueles que foram comprados da terra.
4 Estes são os que não se contaminaram com mulheres; porque são virgens. Estes são os que seguem o Cordeiro para onde quer que vá. Estes foram comprados dentre os homens para serem as primícias para Deus e para o Cordeiro.
5 E na sua boca não se achou engano; porque são irrepreensíveis.
6 E vi outro anjo voando pelo meio do céu, e tinha um evangelho eterno para proclamar aos que habitam sobre a terra e a toda nação, e tribo, e língua, e povo,
7 dizendo com grande voz: Temei a Deus, e dai-lhe glória; porque é chegada a hora do seu juízo; e adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas.
8 Um segundo anjo o seguiu, dizendo: Caiu, caiu a grande Babilônia, que a todas as nações deu a beber do vinho da ira da sua prostituição.
9 Seguiu-os ainda um terceiro anjo, dizendo com grande voz: Se alguém adorar a besta, e a sua imagem, e receber o sinal na fronte, ou na mão,
10 também o tal beberá do vinho da ira de Deus, que se acha preparado sem mistura, no cálice da sua ira; e será atormentado com fogo e enxofre diante dos santos anjos e diante do Cordeiro.
11 A fumaça do seu tormento sobe para todo o sempre; e não têm repouso nem de dia nem de noite os que adoram a besta e a sua imagem, nem aquele que recebe o sinal do seu nome.
12 Aqui está a perseverança dos santos, daqueles que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.
13 Então ouvi uma voz do céu, que dizia: Escreve: Bem-aventurados os mortos que desde agora morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, para que descansem dos seus trabalhos, pois as suas obras os acompanham.
14 E olhei, e eis uma nuvem branca, e assentado sobre a nuvem um semelhante a filho de homem, que tinha sobre a cabeça uma coroa de ouro, e na mão uma foice afiada.
15 E outro anjo saiu do santuário, clamando com grande voz ao que estava assentado sobre a nuvem: Lança a tua foice e ceifa, porque é chegada a hora de ceifar, porque já a seara da terra está madura.
16 Então aquele que estava assentado sobre a nuvem meteu a sua foice à terra, e a terra foi ceifada.
17 Ainda outro anjo saiu do santuário que está no céu, o qual também tinha uma foice afiada.
18 E saiu do altar outro anjo, que tinha poder sobre o fogo, e clamou com grande voz ao que tinha a foice afiada, dizendo: Lança a tua foice afiada, e vindima os cachos da vinha da terra, porque já as suas uvas estão maduras.
19 E o anjo meteu a sua foice à terra, e vindimou as uvas da vinha da terra, e lançou-as no grande lagar da ira de Deus.
20 E o lagar foi pisado fora da cidade, e saiu sangue do lagar até os freios dos cavalos, pelo espaço de mil e seiscentos estádios.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

As duas formas de ver o mundo

"Há duas maneiras de se ver a vida: Uma é pensar que não existem milagres e a outra é acreditar que tudo é um milagre." - Um sábio cientista



Há muito mais chances das coisas serem diferentes do que elas são. Por exemplo, para eu ser eu, tive que passar num sorteio muito mais difícil do que ganhar na loteria, se o espermatozoide e o óvulo fossem outros, eu não seria eu. Agora pense em meus antepassados, e em seus gametas geradores, se você desconsiderar as outras possibilidades, só um milagre mesmo para EU SER EU. Afinal EU SOU é um milagre...

"Eu creio que em tudo há uma consciência. Até mesmo nas pedras... E não é por isso que vou conversar com elas... A consciência é um milagre em vários níveis! Como eu prefiro SER, creio que o EU SOU em tudo ESTÁ! EU SOU é o milagre!" - Rodrigo Lima

E quando falo no EU SOU, não me refiro apenas em Deus no Céu, mas no EU SOU que está dentro de mim... Pelo qual posso falar EU SOU!

Não creio em um Deus extrínseco ao Universo...

E muito menos num Deus que seja tudo...

Deus é o EU SOU e aí reside o mistério que muitos não compreendem...

Veja:

O Sagrado Nome do Eterno é Yod-Heh-Vav-Heh (YHWH), que, em hebraico, quer dizer EU SOU. O EU SOU é um VERBO. E É desta maneira que Ele se apresenta a Moisés. Deus é o Verbo Ser personificado, por isso o EU do EU SOU. Mas não veja o Verbo Ser como um ente gramatical morto, mas como ato puro. Em todos os outros verbos quem realiza a obra, a ação do verbo é o sujeito. Mas isso não acontece com o verbo ser. Por exemplo... Quando digo:

Eu como carne.

Quem realiza o ato de comer é o Eu, o sujeito.

Mas na frase:

Eu sou filho do homem.

O "eu" não faz nada... Ele não desempenha ação... Quem desempenha a ação é o próprio Verbo, pois não precisamos fazer nada para sermos... Simplesmente somos!
E neste ponto Deus, como o EU SOU cumpre cabalmente os três principais requisitos da divindade.

A onipotência, a onisciência e a onipresença. Pois tudo passa pelo VERBO SER, visto que se não É deixa de existir. Se há algo que pode, primeiro tem que SER. Se algo que conhece/sabe primeiro tem que SER senão não É, se algo que está então É logo passa pelo SER (Por isso que no inglês, e outras línguas, o mesmo VERBO usado para o ser também designa estar).

Deus não é tudo, mas está em tudo de modo dinâmico e intrínseco.

Mas você então pode falar... Então EU SOU DEUS!

E não vou negar que você o É, pois a Bíblia afirma isso:

João 10:

33 Responderam-lhe os judeus: Não é por nenhuma obra boa que vamos apedrejar-te, mas por blasfêmia; e porque, sendo tu homem, te fazes Deus.
34 Tornou-lhes Jesus: Não está escrito na vossa lei: Eu disse: Vós sois deuses?
35 Se a lei chamou deuses àqueles a quem a palavra de Deus foi dirigida (e a Escritura não pode ser anulada),
36 àquele a quem o Pai santificou, e enviou ao mundo, dizeis vós: Blasfemas; porque eu disse: Sou Filho de Deus?

Deus não precisa da palavra, você e eu precisamos... Por isso é que ela foi dirigida a nós... Mas não pense que vou adorar a você como DEUS... Pois só há um que nos importa...

I Coríntios 8
6 - Pois, ainda que haja também alguns que se chamem deuses, quer no céu quer na terra (como há muitos deuses e muitos senhores), todavia para nós há um só Deus, o Pai, de quem são todas as coisas e para quem nós vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual existem todas as coisas, e por ele nós também.

Pois Deus é revelado no Amor do Pai no Filho e na entrega do Filho ao Pai e sendo o este AMOR próprio Deus. Pois só a uma razão para SER, O AMOR.

Para entender mais, visite:




Quero dizer mais, pelas palavras do Caio Fábio:

EM DEUS TUDO FALA...
Deus criou porque não pensou somente em Si Mesmo, pois a criação é Deus pensando em outros; em todos os outros infinitamente possíveis...

Portanto, na criação temos múltiplas e infindas formas de expressão de Deus e de Sua Palavra/Verbo; visto que todas as coisas foram criadas pela Palavra de Deus; e, por tal razão expressam a Sua Palavra de modo pessoal e impessoal.

Hoje em dia estou a ponto de quase duvidar da impessoalidade de qualquer coisa que seja criatura na criação.

Faço o Caminho nesse sentido inverso ao de Sidarta; pois se o seu Nirvana era o Mar da Impessoalidade, para mim é o oposto; pois, sendo Deus amor, suspeito que de um modo que para mim tem que se estabelecer como negação do meu pensar como absoluto de modo de pensar; fazendo o mesmo eu com o homem, como se o que é raciocínio para o homem seja a única forma de raciocinar — fico, portanto, aprisionado pela ideia de que tudo tem sua própria fala e modo de ser em e para Deus; e não apenas como existência que existe sem existir como ente existente.

Assim é que na Escritura todo ser que respira louva o Senhor, tanto quanto todos os astros dos céus, todas as criaturas, de todas as dimensões; de lesmas gosmentas a anjos ricos em força, poder e majestade.

A Escritura diz que se Deus pensasse só em Si Mesmo, toda a existência se dissolveria.

Assim, se há existência [...] é porque há Deus pensando em todas as criaturas de todos mundos conhecidos e desconhecidos, visíveis e invisíveis.

Por isto se diz que a Sua Palavra se faz ouvir em toda a Terra e que é também percebida nos confins do mundo; posto que dia, noite, fala, sonho; sol e lua, luz e trevas; ventos procelosos e cicios suaves; bem como monstros marinhos e abismos todos; e toda sorte de existência impensáveis e alienígenas, como seres de quatro faces e oito asas, com feições humanas e animais ao mesmo tempo, e que são acompanhados por rodas que giram em si mesmas, mas que obedecem a um comando de natureza espiritual [conforme Ezequiel]; ou ainda, como se diz: com árvores aplaudindo, mares cantando, ribeiros louvando; com todos os pássaros em sinfonia; sim, com jumentos profetizando, pedras falando, e até homens e mulheres de vez em quando conseguindo expressar Deus, especialmente quando amam mais do que falam —; o fato é que Deus fala; e fala sempre; e nunca até hoje deixou de falar; de falar a todos os homens, em todos lugares; usando os meios e modos disponíveis; por vezes sonhos, outras vezes impressões, intuições; ou ainda mediante as estrelas e seus estranhos caminho que um dia levaram três homens até a uma manjedoura onde Deus mais uma vez pensava apenas nos outros.

Sim, Deus fala!

Fala quando é gostoso, mas fala mais ainda quando é amargo; fala muito no nascimento, mas muito mais profundamente na morte; fala na conquista, mas incomparavelmente fala Ele nas derrotas e perdas.

Eu, no entanto, não tenho como não ouvir a Sua Voz em tudo.

Cada dia mais ouço Sua Palavra em tudo e todas as coisas.

Vejo Luz onde antes eu só via trevas; vejo Trevas onde antes eu só via luz; e vejo que para Ele as trevas e a luz são a mesma coisa!

Hoje ouço Sua voz na Desgraça como Graça e na Graça como Amor.

Sim; hoje sei que tudo existe Nele com propósito e com carga de louvor; e que tudo o que existe fala Dele; sim, até quando parece ser uma Calamidade.


Digo isto porque não há criação sem caos; e nem há caos sem a entrega de Deus como Cordeiro para propiciar todas as possibilidades de ser Nele e para Ele; ainda que para o sentir finito e moral como o meu, por vezes o que Deus chame de “minha vontade”, “ou de minha entrega”, eu perceba ou chame de caos e de morte.

Nele, em Quem tal mergulho somente me enche de alegria e vida... Enfim... É isso!

A Abominação da Desolação

Daniel 12:

1 E naquele tempo se levantará Miguel, o grande príncipe, que se levanta a favor dos filhos do teu povo, e haverá um tempo de angústia, qual nunca houve, desde que houve nação até àquele tempo; mas naquele tempo livrar-se-á o teu povo, todo aquele que for achado escrito no livro.

Marcos 13:

14 Ora, quando vós virdes a abominação da desolação estar onde não deve estar (quem lê, entenda), então os que estiverem na Judéia fujam para os montes;
15 quem estiver no eirado não desça, nem entre para tirar alguma coisa da sua casa;
16 e quem estiver no campo não volte atrás para buscar a sua capa.
17 Mas ai das que estiverem grávidas, e das que amamentarem naqueles dias!
18 Orai, pois, para que isto não suceda no inverno;
19 porque naqueles dias haverá uma tribulação tal, qual nunca houve desde o princípio da criação, que Deus criou, até agora, nem jamais haverá.
20 Se o Senhor não abreviasse aqueles dias, ninguém se salvaria mas ele, por causa dos eleitos que escolheu, abreviou aqueles dias.






Por que em fé esperamos no amor!

A ciência é uma ferramenta e não o fim. E às vezes a ignorância é uma bênção, saber demais é pesado e triste. No futuro, mas no futuro mesmo, conheceremos como somos conhecidos. Lá muita coisa não terá importância, pois já se passaram. Veremos que o ter, a matéria é desnecessária, viveremos num mundo de conceitos. Então perceberemos que conhecer tudo e tudo poder é vaidade e aflição de espírito. Então nos lembraremos do amor e como ele nos dava felicidade e fazia valer a pena. Veremos que a limitação é necessária e torna as coisas interessantes. No fim conheceremos o AMOR em plenitude e aprenderemos que a entrega renova todas as coisas e a entrega total é perfeita. Então só restarão três coisas que são uma, a FÉ, a ESPERANÇA E O AMOR. Por que em fé esperamos no amor! Então tudo será entregue ao Dom da Vida, porque o maior destes três É!

terça-feira, 27 de julho de 2010

Adoração à trindade

Adoração à Trindade

Elaine de Jesus

Composição: Elizeu Gomes

São três, num só
Distintos mais iguais: é sopro, é sangue é fogo
O que um diz, todos fazem
Um trono, um governo, um cetro, um céu, um só decreto
Três pensamentos num ideal
Uma unidade, três corações
Um pede, um geme, um opera -- os três se alegram
Um perdoa e justifica
O outro confirma e salva
O terceiro enche o crente de uma graça tão latente
Que é o fogo que reveste e purifica todo crente

É o Pai, é o Filho é o Espírito que arde o coração
As mãos furadas, que quanto toca, cura os enfermos na unção
O céu se abre e rompe o véu, destila o mel
Todos mistérios escondidos derramando sobre os ungidos
O céu desceu com glória, e invadiu este lugar
Ouço trombetas, a terra treme, vejo o Sinai a fumegar
Um fogo santo vem queimando, sacudindo a nossa alma
Dá vontade de voar

Quando os serafins, dizem: Santo, Santo, Santo
É uma expressão de adoração pra cada um
Deus Pai, Deus Filho, Deus Espírito
A presença do Deus vivo em três manifestações

Um pede, um geme, um opera -- os três se alegram
Um perdoa e justifica
O outro confirma e salva
O terceiro enche o crente de uma graça tão latente
Que é o fogo que reveste e purifica todo crente

É o Pai, é o Filho é o Espírito que arde o coração
As mãos furadas, que quanto toca, cura os enfermos na unção
O céu se abre e rompe o véu, destila o mel
Todos mistérios escondidos derramando sobre os ungidos
O céu desceu com glória, e invadiu este lugar
Ouço trombetas, a terra treme, vejo o Sinai a fumegar
Um fogo santo vem queimando, sacudindo a nossa alma
Dá vontade de voar

Glória ao Pai, glória ao Filho, glória ao Espírito
Glória ao Pai, glória ao Filho 2x
Glória ao Espírito de Deus



domingo, 25 de julho de 2010

O Cordeiro Morto Antes da Fundação do Mundo

Se tiver um tempinho e quiser saber mais sobre este assunto leia o link abaixo, vai te esclarecer muito:

http://www.caiofabio.net/2009/conteudo.asp?codigo=01909

A plenitude do real

1a. Coríntios 13:

12 Porque agora vemos como por espelho, em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei plenamente, como também sou plenamente conhecido.












segunda-feira, 19 de julho de 2010

Uma pergunta básica para os ateus...

É certo que o cérebro humano é muitas ordens de magnitude mais complexo do que um chip (processador de computador), visto que, o cérebro humano é responsável pela criação de chips e não o contrário. No entanto, os ateus insistem em dizer que o cérebro surgiu ao acaso, um evento inesperado na natureza, "um grande trabalho do tempo, da evolução e da sorte". Eu pergunto então, porque os chips de computador não aparecem na natureza, ao acaso, visto que a probabilidade destes surgirem espontaneamente é muito mais fácil de acontecer do que essa maravilhosa caixa de pensamentos que temos na cabeça?

A lógica é simples... Pegue uma célula simples... Por exemplo uma ameba... Mesmo com sua simplicidade ela é muito mais complexa que um CHIP de computador, pois é viva com proteínas, aminoácidos, ácidos nucleicos, etc... Trabalhando em harmonia... Uma máquina perfeita, com capacidade replicativa natural que deixaria qualquer projetista robótico de queixo caído... Uma verdadeira assinatura de Deus! E isso para uma ameba... Imagine 100 dados... Dados de seis lados. Eu peço uma seqüência exata de 60 dados, tipo 6, 2, 5... 4 e outra seqüência menor de 4 dados. A primeira é muito mais complexa, seria a ameba, a segunda, muito mais simples, o CHIP. Porque na natureza não achamos a segunda e sim a primeira?

Mas você poderia dizer:

"A diferença fundamental é que um chip é um artefato e o cérebro é um sistema natural."

Concluo que você quer dizer que um artefato não ocorre ao acaso, mas o cérebro, ocorre ao acaso ajudado pelo tempo e pela sorte. E este cérebro, fruto da causalidade evolucionária bem afortunada consegue projetar algo intencional e consciente. Logo há intencionalidade e a consciência presente na natureza, nos átomos e nas partículas subatômicas, dos constituintes da matéria, sejam eles qual forem, que fazem a matéria ser matéria, possuem uma mente, uma psiquê, um padrão... Se assim não existisse isso, como a matéria poderia ela, sem consciência, projetar seres conscientes dotados de intencionalidade? Acaso? Acho que não... Seria mais fácil ar se transmutar em ouro espontaneamente! Ou do barro primordial surgir um intel core i7... Haja fé!

E ainda criticam os que creem que:

...formou o Senhor Deus o homem do pó da terra, e soprou-lhe nas narinas o fôlego da vida; e o homem tornou-se alma vivente.

A física é prova disso, pois ela corre sobre trilhos e não é caótica e desordenada, pelo contrário há um padrão, leis, sentido. Sentido que os cientistas buscam encontrar com suas teorias como as das supercordas... Que certamente tocam uma bela sinfonia harmônica e organizada. Dica assista o filme Mind Walk (Ponto de Mutação).

domingo, 18 de julho de 2010

O Verbo

No princípio era o Verbo
E o Verbo era Deus
E o Verbo se fez carne e entre nós ele habitou
Destruindo fortalezas, ele vence o mal
Com a luz de deus
Nele estava toda a vida
Que o homem pode ter ele disse:
Haja luz, o seu nome tem poder
É o resgate da tua alma,
É a voz (do criador - Jesus)
Maravilhoso, conselheiro, é deus forte,
Pai da eternidade , poderoso, rei dos reis,
É sublime, príncipe da paz

terça-feira, 13 de julho de 2010

Prá Não Esquecer - Novo Som



Eu sei que a grandeza divina
Não se mede em palavras, tá gravada no peito
De quem ama e chora que refaz a história
De uma vida outra vez

Jesus tantas vezes eu tentei
Recolher os pedaços de uma vida ferida
E como um lindo cristal que cai
Tive sonhos quebrados e espalhados no chão

Mas eu te encontrei
Minha vida se refez
Versos escrevi pra tentar te falar do meu amor
Mas o que sinto não dá pra dizer:
"Jesus" é maior que eu
Tua palavra escrevi aqui
"Senhor" bem no meu coração
Pra não esquecer que a vida não vale a pena sem você.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Amor sem abracadabra

Nem "bala bala macia", nem "siri anda lá na praia", muito menos "abracadabra"... se não tiver Amor serei semelhante ao som chato e solitário de um ferreiro moldando o aço ou o bronze.

E ainda que eu tivesse a capacidade extra-sensorial da cartomante ou do sábio, e conhecesse todas as formas de dobrar as forças da natureza, e ainda que tivesse todo o poder, de maneira tal que manipulasse poções, transportasse os montes e as pessoas apenas pela autoridade dos meus "atos proféticos" ou encantamentos, e não tivesse amor, nada seria. Ainda que eu pensasse ser alguma coisa... Nada seria...

E mesmo que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, vítimas de enchentes e terremotos, etíopes ou animais em extinção e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado vivo, mas fizesse todas estas coisas apenas para ser admirado ou até mesmo para tirar algum proveito, gerar mídia espontânea ou descontos no Imposto de Renda, nada disso me aproveitaria. Continuaria vazio...

O amor não é masoquista, mas é sofredor, é paradoxalmente bondoso quando recebe mal; o amor não é invejoso; o amor não dá as mãos com superficialidade, mas abraça calorosamente, se entrega e não fica de nariz em pé.

Não é a favor do escândalo, nem que sejam os escândalos vingados dos seus inimigos. O amor não se entrega somente por prazer, sem vínculo com a vida. É claro que o amor também está presente no ato sexual de quem e em quem há compromisso selado do tamanho da Vida, vivida em fidelidade. Mas ele, o amor, o verdadeiro amor, não pode ser simplesmente robotizado, embonecado, banalizado eroticamente. Não funciona assim.

Não busca os seus próprios interesses, não se encoleriza dramática e irreversivelmente, não levanta falso testemunho; não se entrega à injustiça, mas luta pela verdade;

Tudo sofre, calado às vezes, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. Até o que nos parece mais insensato e digno de vingança é deixado pra lá e perdoado por amor.

O amor nunca falha; nunca mesmo... mesmo que lhe pareça o contrário. Mas havendo prognósticos, bênçãos ou maldições ao futuro, serão desfeitos; havendo línguas angelicais, histéricas e descomprometidas com a verdade, se calarão; havendo conhecimento, qualquer conhecimento, será esquecido;

Porque, em parte, conhecemos, e em parte nos tornamos "poderosos" e até "profetas";

Mas, quando vier Aquele que é perfeito, então o que o é pela metade será deixado de lado.

Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino... queria ser bombeiro, astronauta, super-homem, mago, até mesmo bispo e apóstolo... Mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com estas brincadeiras de menino... e preferi ser apenas servo... do Amor.

Porque agora estamos diante de um enigma, ninguém realmente sabe como será o "futuro", alguns desconfiam e palpitam fervorosamente sobre o que seja, tentam acertar ou descobrir como será, mas ninguém realmente sabe com certeza. Então chegará o dia quanto todos nós, pequenos e grandes, O veremos face a face; agora vemos apenas as sombras, mas já está vindo o dia que O conheceremos como se conhece o bom amigo, o amigo a quem contamos as coisas mais íntimas, os segredos mais guardados e nos recebe alegremente em sua casa. O amigo que conhecemos apenas pelo "alô!" ao telefone ou no olhar que esconde nosso segredo confiado em segurança.

Neste momento ainda permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor amado de graça, sem fingimento e sem hipocrisia. O Amor que anda de mãos dadas com a bondade e a misericórdia todos os dias.


O Deus que é Amor te abençoe rica, poderosa e sobrenaturalmente!

(Texto baseado em I Coríntios 13)



Pablo Massolar

Para mais visite: http://www.ovelhamagra.com/

terça-feira, 6 de julho de 2010

Castelos de areia














I Timóteo 6:

6 e, de fato, é grande fonte de lucro a piedade com o contentamento.
7 Porque nada trouxe para este mundo, e nada podemos daqui levar;
8 tendo, porém, alimento e vestuário, estaremos com isso contentes.
9 Mas os que querem tornar-se ricos caem em tentação e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, as quais submergem os homens na ruína e na perdição.
10 Porque o amor ao dinheiro é raiz de todos os males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.
11 Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas, e segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a constância, a mansidão.
12 Peleja a boa peleja da fé, apodera-te da vida eterna, para a qual foste chamado, tendo já feito boa confissão diante de muitas testemunhas.
13 Diante de Deus, que todas as coisas vivifica, e de Cristo Jesus, que perante Pôncio Pilatos deu o testemunho da boa confissão, exorto-te
14 a que guardes este mandamento sem mácula e irrepreensível até a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo;
15 a qual, no tempo próprio, manifestará o bem-aventurado e único soberano, Rei dos reis e Senhor dos senhores;
16 aquele que possui, ele só, a imortalidade, e habita em luz inacessível; a quem nenhum dos homens tem visto nem pode ver; ao qual seja honra e poder sempiterno. Amém.
17 manda aos ricos deste mundo que não sejam altivos, nem ponham a sua esperança na incerteza das riquezas, mas em Deus, que nos concede abundantemente todas as coisas para delas gozarmos;
18 que pratiquem o bem, que se enriqueçam de boas obras, que sejam liberais e generosos,
19 entesourando para si mesmos um bom fundamento para o futuro, para que possam alcançar a verdadeira vida.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Tudo está de cabeça para baixo?

Tudo está de cabeça para baixo?

Nada Além do Sangue

Nada Além do Sangue...




Clipe geração de Samuel

Muito lindo este clipe... Espero que você goste!


VOCÊ CRÊ NAQUILO QUE VOCÊ NÃO VÊ?

VOCÊ CRÊ NAQUILO QUE VOCÊ NÃO VÊ?

Eliseu, o profeta, pediu a Deus em favor de seu ajudante, o seguinte:

“Senhor, abre-lhe os olhos, para que veja que mais são os que estão conosco do que os que estão com eles”.

Jesus perguntou a Seus discípulos quando estava sendo preso:

“Ou não crêem que se eu pedisse meu Pai não enviaria legiões de anjos?”

Também é Jesus quem diz:

“Eu vi Satanás cair do céu como um relâmpago!”

E diz mais:

“Em verdade vos digo que os anjos dos pequeninos vêem a face de meu Pai, em favor deles, de dia e de noite”.

E, na mesma toada, vêm dezenas de outros textos, tanto da Antiga Aliança quanto da Nova, todos garantindo que entre nós e o que vemos, existem milhares de forças e poderes que não vemos.

Desse modo, percebemos apenas uma porção extremamente pequena da realidade. E digo não apenas acerca da realidade que vemos [da qual somos quase totalmente ignorantes], mas, sobretudo, da realidade invisível, a qual somente pode ser acessada pela fé, e que é muito mais lotada de vida do que o mundo que vemos.

Eu sei que estou sendo visto o tempo todo. Visto por anjos, demônios e muitas criaturas que não vejo. Não as vejo, mas sei que existem; e sei que me conhecem...

Para não irmos muito longe..., basta dizer de modo reduzido que Jesus e Paulo viam muito mais o mundo que não se vê do que o mundo que se vê.

Ora, quem perde esse sentido das coisas..., mas insiste em dizer que vê, se assemelha a um cego que se oferece para dar aula em classe de cirurgia oftalmológica.

Não é possível ler o Novo Testamento é continuar não aceitando que a fé em Jesus é cheia de seres invisíveis, de lutas, de confortos e de socorros espirituais.

Quem pensa que lida apenas com o que se vê faz-se presa fácil de tudo o que existindo não se vê.

Daí Paulo dizer que nossa luta maior não é contra o que se vê, mas contra o que se não vê, e que se manifesta de modo perversamente organizado no mundo, na forma de Principados, Potestades, Poderes, Tronos, e Soberanias diversas...

Mas a maioria prefere crer que o mundo é feito, em seus maiores poderes, de Osamas e Obamas...

Não! Os Osamas e os Obamas são apenas pequenos coadjuvantes em uma trama muito mais sofisticada, para qual ambos estão igualmente cegos...

Ah, quem dera nossos olhos se abrissem para vermos tudo o que está rolando nas regiões invisíveis...

Então, veríamos como nossas ações, pensamentos, eleições de importância, causas, valores, significados, etc. — repousam sobre muito do engano que nos é administrado por tais poderes espirituais.

Eu ousaria dizer que se os nossos olhos se abrissem talvez percebêssemos que 99% do que chamamos de importante sejam apenas imposições do mundo dos manipuladores espirituais.

A grande especialidade desses seres, quando são hostis, é distrair a nossa existência em relação ao que seja o real sentido de viver.

Ora, Jesus disse que eles não somente influenciam, mas também disse que eles podem habitar mentes e possuir pessoas, que, pela entrega, tornam-se um com tais forças...

É por esta razão que o convite é para que se ponha o capacete da salvação, se vista a couraça da Justiça de Jesus, se calce os pés com o Evangelho da paz, se empunhe a espada do Espírito, que é a Palavra de Deus, e que se tenha sempre o escudo da Fé, com qual se pode apagar as setas inflamadas e envenenadas desses poderes hostis; e isso sempre vestindo a verdade como roupa intima do ser.

Quem não tiver tais percepções não sobreviverá nos dias maus que se avizinham do mundo.

Nele, que nos ordenou que andássemos vigilantes,

Caio Fábio